Início > Cultura > As 11 melhores músicas sobre futebol

As 11 melhores músicas sobre futebol

Dizem que quem joga bem, “joga por música”. Um ás do piano, ou da guitarra, ou mesmo do vocal é um “craque”. Futebol e música se misturam com muita facilidade, por vários motivos. O clima nos estádios, a vibração da torcida, vai instintivamente em direção a cantos para embalar o time, provocar o adversário ou expressar paixão. Uma música entoada por milhares de fãs é parte essencial de um jogo de futebol. O Brasil é especialista nisso. É famoso o caso da partida entre a seleção nacional e a Espanha, pela segunda fase da Copa de 1950, quando os torcedores presentes ao Maracanã, empolgados com a goleada de 6-1, improvisaram um coro da marchina “Touradas em Madri”, para fazer graça com os espanhóis. O povo brasileiro já foi descrito como um povo naturalmente musical e o jogo brasileiro já foi comparado ao samba. É absolutamente natural que futebol e música se encontrem tão harmoniosamente por aqui.

Muitos são os compositores que já prestaram reverência ao nobre esporte através de seu som. Alguns deles conseguiram criar verdadeiras obras-primas. Aqui estão as 11 maiores.

11 “O FUTEBOL” (CHICO BUARQUE)
Chico, para muitos (inclusive eu) o maior compositor brasileiro vivo, é um futebólatra. Torcedor do Fluminense, ele tem seu próprio time de futebol amador, o Politheama, e um campo de dimensões oficiais em sua casa, no bairro do Recreio dos Bandeirantes, no Rio de Janeiro. Não surpreende que tenha gasto um pouco de seus dotes em uma pequena ode ao futebol, chamada, aproriadamente, “O Futebol”. O destaque da composição é a tabelinha imaginária que Chico, como tantos garotos colecionadores de figurinhas e jogadores de botão, arma entre seus ídolos: Didi, Garrincha, Pagão, Pelé e Canhoteiro trocam passes nos versos finais da música.

 

10 “AQUI É O PAÍS DO FUTEBOL” (MILTON NASCIMENTO/FERNANDO BRANT)
A dupla do Clube da Esquina resolveu compôr uma homenagem não só ao futebol mas, principalmente, ao dono de um dos mais talentosos pares de pés que Minas Gerais já produziu: Tostão. “Aqui É O País do Futebol” foi o resultado. É uma música que bate na tecla da obsessão nacional, com trechos como “Brasil está vazio na tarde de domingo, né?” e “Esqueça a casa e o trabalho/A vida fica lá fora”. Fazendo jus ao caráter de linguagem universal do futebol, a canção dos mineiros foi gravada com sucesso pela gaúcha Elis Regina e pelo carioca Wilson Simonal – versão que pode ser conferida abaixo.

 

9 “CAMISA DEZ” (LUIZ AMÉRICO)
O time brasileiro na Copa de 1970 era um sonho – e, como tal, durou pouco. Já para o mundial seguinte o Brasil não teria vários jogadores que levantaram a taça no México. A principal dificuldade era encontrar um substituto para Pelé, que se aposentou da seleção um ano depois do tri. É esse momento angustiante que ficou preservado em “Camisa Dez”, uma espirituosíssima composição do sambista Luiz Américo. Durante a letra são feitas referências a vários jogadores da época, culminando na reclamação pela falta de um legítimo camisa dez para cumprir a tarefa impossível de substituir o Rei. Deixo maiores explicações para o vídeo, que conta a história com mais detalhes.

 

8 “ALLY’S TARTAN ARMY” (ANDY CAMERON)
Única música estrangeira da lista, “Ally’s Tartan Army” é um dos maiores exemplos de bom humor e auto-ironia do mundo do futebol. Foi escrita e gravada pelo comediante escocês Andy Cameron antes da Copa de 1978, e seu título faz referência à seleção nacional (“Ally” é o treinador Alistair MacLeod, e “Tartan Army” é o apelido dado aos torcedores escoceses). Durante a preparação para o mundial, MacLeod bravateou que seu time traria o título para a Escócia. Não era um mau time, é verdade, mas era ambição demais. Todo o país resolveu embarcar na onda, sem levar a sério, e foi daí que nasceu a música. Na letra, Cameron proclama que os seus compatriotas supreenderão e vencerão a Copa, porque “a Escócia é o maior time de futebol”. Valeu pela brincadeira.

 

7 “AQUI TEM UM BANDO DE LOUCOS” (TORCIDA DO CORINTHIANS)
Eu sou são-paulino. Mas é impossível ficar indiferente à torcida do Corinthians quando esta resolve usar sua força para apoiar o time. É um espetáculo como poucos no futebol brasileiro. No ano do rebaixamento corintiano (ah, 2007, quanta alegria você me deu…) esses laços se fortaleceram a extremos comoventes, e a volta à primeira divisão, no ano seguinte, foi uma apoteose de amor à camisa. Merecem palmas por isso. Ainda na campanha da derrocada um dos muitos gritos de guerra dos alvinegros nas arquibancadas se destacou. Foi o tal do “Aqui tem um bando de loucos…”, que unia tudo que o Corinthians representa para seus seguidores: devoção ensandecida, doses cavalares de drama, luta, superação. Em poucas frases uma das relações time-torcida mais umbilicais e bem definidas do futebol brasileiro foi descrita com perfeição. Eu sei que não é bem uma música, como as outras da lista, mas não podia ficar de fora.

 

6 “FUTEBOL, MULHER & ROCK’N’ROLL” (DR. SIN)
A música do grupo de hard rock Dr. Sin (brasileiro, apesar do nome) não fala só de futebol, é verdade, mas tem um trunfo muito valioso entre suas concorrentes da lista: a contribuição de ninguém menos do que Silvio Luiz, na minha opinião o maior narrador esportivo do universo. Silvio não só empresta seus sensacionais bordões como também aparece no clipe, de óculos escuros e guitarra no ombro, fazendo cara de malvado. Impagável. O vídeo e a composição são carregados de testosterona: mulheres em trajes sumários, trocadilhos de mesa de bar e uma entrega total à proposta.

 

5 “FIO MARAVILHA” (JORGE BEN JOR)
João Batista de Sales foi revelado pelo Flamengo e lá jogou durante quase uma década. Foi uma espécie de pré-Obina: desajeitado, pouco glamouroso, longe de ser um craque, aparecia em momentos importantes e ganhou o carinho da torcida. Um flamenguista em especial levou esse carinho para o estúdio e gravou um tributo. Era Jorge Ben Jor. “Fio Maravilha” (nomeada a partir do apelido que o jogador ganhou da torcida) foi um grande sucesso, logo adotada pelas arquibancadas rubro-negras. Fio Maravilha deixou o Flamengo em 1973 com boas lembranças e esse precioso legado musical – infelizmente manchado por uma briga judicial entre o atleta e Jorge Ben Jor pelos direitos autorais da canção. Por muito tempo Jorge teve que mudar a letra para “Filho Maravilha”, mas o assunto foi resolvido em 2007 e os dois fizeram as pazes.

 

4 “O CAMPEÃO” (NEGUINHO DA BEIJA-FLOR)
A primeira frase de “O Campeão” já é suficiente para colocá-la entre as músicas definitivas sobre o futebol brasileiro: “Domingo eu vou ao Maracanã”. Neguinho compôs a música para seu primeiro disco solo, no início dos anos 80, mas teve uma bela sacada: não preencheu o poderoso refrão com o nome de nenhum time específico. Evidente que ele pensara no seu Flamengo ao escrever a letra, mas não explicitou. Desse modo, ao ser abraçada pelos torcedores, a música virou um hino geral: qualquer torcida poderia inserir seu clube ali e transformar o canto em seu próprio. Acabaram sendo mesmo os flamenguistas que mais se identificaram com a composição e são mais frequentemente vistos (ou melhor, ouvidos) cantando-a, mas mas pode se dizer que ela é uma filha com vários pais adotivos.

 

3 “A TAÇA DO MUNDO É NOSSA” (WAGNER MAUGERI/MAUGERI SOBRINHO/VICTOR DAGÔ/LAURO MÜLLER)
O Brasil tem uma vasta coleção de músicas dedicadas a suas participações em Copas do Mundo, mas nenhuma delas supera a mãe de todas: “A Taça do Mundo É Nossa”. Composta como uma marchinha, ela traduz toda a catarse que foi a vitória na Suécia em 1958. O famigerado “complexo de vira-lata”, captado por Nelson Rodrigues, foi definitivamente mandado para o espaço a cada vez que uma garganta eufórica soltava um “Com brasileiro, não há quem possa!” pelas ruas do país. O nome da canção virou frase muitas vezes repetida em diversos contextos e até título de um filme do Casseta&Planeta. Vale, ainda, prestar atenção em um dos versos, que exemplifica bem o que a introdução desta lista argumenta: “Sambando com a bola no pé”.

 

2 “UM A ZERO” (PIXINGUINHA)
Eu escrevi lá em cima que uma das principais ligações entre música e futebol é o canto da torcida nos estádios. Então como pode uma música instrumental ser tão relacionada ao esporte? Bom, pergunte a Pixinguinha, autor do magnífico choro “Um a Zero”, possivelmente uma das primeiras manifestações musicais de um grande artista em direção ao futebol. “Um a Zero” foi composta para comemorar a primeira grande conquista da seleção brasileira: o Sul-Americano de 1919. O nome alude ao jogo decisivo, contra o Uruguai, que terminou com o placar de 1-0, gol de Friedenreich. As chuteiras do atacante ficaram vários dias expostas em uma vitrine do centro do Rio de Janeiro e houve muita comoção pelo título. Tanta que Pixinguinha, um dos monstros sagrados da música brasileira, entrou na roda e criou uma peça imortal.

 

1 “É UMA PARTIDA DE FUTEBOL” (SKANK/NANDO REIS)
A parceria entre o cruzeirense Samuel Rosa, líder do Skank, e o são-paulino Nando Reis deu à luz uma das maiores músicas de toda a minha geração e certamente a maior composição sobre futebol que já se produziu. Nela não falta nada: fantasia, fanatismo, euforia, idolatria, reverência, tudo em meio a guitarras alucinantes e metais irresistíveis – sem falar em um dos refrões mais reconhecíveis do rock nacional, começando em “Bola na trave não altera o placar…”, e você sabe o resto. A música é enriquecida pela participação das torcidas de Atlético-MG e Cruzeiro em alguns trechos e por um clipe irretocável, completo com passagens de clássicos entre os rivais mineiros, Samuel no meio da galera na arquibancada e tomadas épicas do baterista Haroldo Ferretti tocando no centro do gramado do Mineirão. Um clássico.

About these ads
CategoriasCultura
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.